Pesquisar

Sem Faustão e com Huck: futebol na Globo aos domingos deve mudar de horário e beneficiar o Fantástico


Quem viu TV ou leu notícias nesta semana com certeza se deparou com a saída em definitivo de Fausto Silva da Globo, após 32 anos. O ex-repórter esportivo foi substituído por outro comunicador oriundo dos programas sobre futebol, Tiago Leifert, mas não por muito tempo, já que o apresentador do BBB vai esquentar a vaga para Luciano Huck, que também anunciou um novo projeto aos domingos. Após esse resumo televisivo, vamos falar de futebol.

Com toda essa dança das cadeiras, sobrou para o Futebol na Globo aos domingos, que também sofrerá mudanças. Segundo o colunista do 'R7' Flávio Ricco o acordo, inclusive, já estaria sendo encaminhado com federações estaduais e a CBF. A ideia da Globo seria utilizar um produto de peso que já faz parte do portfólio para substituir o apresentador no horário entre 18h e 20h, entregando uma audiência alta para o 'Fantástico'.

Com isso, a emissora deve apostar em reality shows como 'The Voice' e a 'Dança dos Famosos' e que já começou a ser apresentado por Leifert neste domingo. Depois disso, Luciano Huck, apresentador do 'Caldeirão', assume um novo projeto do zero.

Às 18h deve começar o futebol com transmissões de jogos dos campeonatos estaduais e, posteriormente, do Brasileirão. Em seguida, começa o Fantástico no horário das 20h, recebendo uma alta audiência do futebol.

Globo já testou futebol no horário do Domingão

A Globo já estudava essa alteração há pelo menos dois anos, já que os números do Domingão se mantinham altos, mas tinham uma tendência de queda após as rodadas de futebol. A intenção, então, era inverter as atrações. Com a saída de Fausto, isso acabará sendo feito em 2022.

Em 2019, a Globo transmitiu uma das rodadas do Brasileirão às 19h como um teste para uma futura mudança: Vasco x CSA foi visto no Rio de Janeiro e parte da rede. Corinthians x Palmeiras teve transmissão para São Paulo e parte da rede. Já Cruzeiro x Atlético-MG passou somente para Minas Gerais.

O resultado poderia dar uma mexida, inclusive, no mercado publicitário, que teria que reajustar os valores de patrocínio com o futebol pelo horário da noite ser considerado mais nobre do que o da tarde, já que historicamente mais pessoas ficam de frente à TV no horário noturno, fazendo com que a Globo consiga, na teoria, captar mais recursos com o futebol.


Postar um comentário

0 Comentários